3 de set de 2010

A MORTE DO RIO DO SACO

As prefeituras anteriores de Mangaratiba e a atual, sempre fizeram questão ressaltar as belezas da região, de insentivar o turismo, mas nunca se preocuparam com a poluição do rio do Saco. Este rio desemboca na Praia do saco que é um dos principais cartões postais do município. Nos últimos anos várias construções foram erguidas ao longo do trajeto do rio e muitos de seus esgotos são despejados no rio sem qualquer tipo de tratamento ou filtragem.


                         Várias ligações clandestinas despejam esgoto na tubulação de águas pluviais.


Essa aparentemente é mais uma ligação clandestina  na rua Frei Afonso em frente ao bar do Luis Paulo. 



 Na própria rua São Luiz, onde passa o valão, o esgoto é jogado a céu aberto por vários imóveis sem a menor preocupação, e esse valão desemboca no rio do saco.



           
O esgoto e jogado diretamente das descargas no valão.


Existem novas ruas ao longo da estrada São João Marcos em que a tubulação de esgoto esta ligado diretamente no rio, sem contar com o óleo e o sabão de vários lava jatos espalhados pela região. O pior é que a região esta em crescimento e dessa maneira não falta muito para que o Rio do saco vire um esgotão a céu aberto e a Praia do saco um local de proliferação de doenças, contaminando as pessoas que a freqüentam.



Vamos tomar como exemplo as praias de Vila Geni, Coroa Grande e Ilha da Madeira, no município de Itaguaí, antes balneários, agora poucos se arriscam a entrar em suas águas. Todas contaminadas por esgotos e por produtos químicos trazidos pelos rios que desembocam por ali.



Ainda dá tempo de salvar esse rio tão importante para a região, por isso estamos pedindo uma atitude em relação a ele.

Não é nossa intenção prejudicar qualquer morador ou difamar a prefeitura, e sim preservar o rio, a praia, a saúde e a  qualidade de vida das nossas famílias.


.......................................................................................................................................................................
......................................................................................................................................................................